Anais | Contato

ANAIS DOS CONGRESSOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA USCS

Nestas página estão disponíveis os resumos de todos os trabalhos de iniciação científica apresentados nos congressos já realizados na USCS. O ISSN dos Anais dos Congressos de Iniciação Científica da USCS é 2176-5316




CARACTERÍSTICAS PSICOLÓGICAS PRESENTES EM MULHERES PORTADORAS DE FIBROMIALGIA

Autor: Solange do Nascimento Silva

Orientador: Armando Rocha Júnior

Instituição: Universidade Guarulhos- Psicologia

Introdução: O intuito desta pesquisa é caracterizar e discutir o perfil psicológico presentes nas mulheres portadoras de fibromialgia. Identificando-se a probabilidade das mulheres apresentarem alterações psicológicas importante, poder-se-á desenvolver um possível trabalho de acompanhamento junto a esses, buscando-se amenizar, o quanto possível, suas dificuldades. Além disso, este estudo poderá servir para promover uma reflexão em torno destas alterações psicológica, que contribua para melhorar as condições sociais dessas mulheres, identificando e contribuído para eliminar situações geradoras de preconceitos que levam ao isolamento e ao sofrimento das mulheres portadoras de fibromialgia. Possibilitando que as mulheres tenham mais facilidade de lidar com suas características psicológicas, para obter uma melhor qualidade de vida tanto consigo mesmo quanto com o outro. Os resultados desta pesquisa pode servir para médicos, psicólogos e outros profissionais, poderão identificar a melhor maneira de lidar com as mulheres portadoras de fibromialgia que não saibam lidar com suas características psicológicas. A finalidade desta pesquisa é verificar o perfil psicológico presentes em mulheres portadoras de fibromialgia e verificar se ocorreu alguma situação importante na vida dessas mulheres antes do advento da fibromialgia. Com o intuito de comprovar que alguma situação vivenciada por essas mulheres podem ter contribuído para evolução da fibromialgia. Metodologia: Trabalhou-se com 11 (onze) mulheres sem considerar a faixa etária e nem o nível sócio-econômico, sendo que o indivíduo apresentou o diagnóstico médico de fibromialgia. Estas estão fazendo tratamento na clinica de fisioterapia da Universidade Guarulhos, onde o primeiro contato ocorreu através da assistente social da instituição na clínica de fisioterapia, esse contato ocorreu na própria clínica, depois os sujeito encaminhou-se para a clínica de psicologia da Universidade. Traçou-se um perfil psicológico utilizando-se o método de Rorschach, um instrumento que avaliou os diferentes tipos de personalidade e verificar quais as características de personalidade presentes em mulheres com fibromialgia. Tratou-se de uma avaliação quantitativa. O método de Rorschach é um instrumento com dez cartões-manchas, no qual o sujeito pode dizer o que para ele a mancha de tinta parece. “A finalidade da atividade científica é a obtenção da verdade, através da comprovação de hipóteses, que, por sua vez, são pontes entre observação da realidade e a teoria científica, que explica a realidade”. (LAKATOS; MARCONI,1991, p.40). O referido instrumento foi aplicado em cada paciente individualmente na clinica de psicologia da UNG. Além disso aplicou-se um questionário com perguntas objetivas elaborado pela pesquisadora com o intuito de verificar os comportamentos antes do advento da fibromialgia. Resultados: Observa-se que 91% das colaboradoras antes de apresentarem o diagnostico de fibromialgia passaram por perdas dolorosas como por exemplo: morte de filhos, maridos, pais e apenas 9% não sofreram nenhuma situação significativa antes de ser diagnosticado. Pode-se observar que 64% das mulheres não estão vivendo estresse situacional neste momento e 36% apresentam estar vivenciando um momento estressante. Existe um grande numero de mulheres que estão vivenciando o estresse situacional,apresentam menos recursos dos requeridos para enfrentar seus disparadores internos de tensão, ou melhor, essas mulheres estão sobrecarregada, estão recebendo mais estimulações irritativas do que seus recursos permitem, dificultando as suas reações diante de uma situação nova e geralmente funciona melhor em meios rotineiros e previsível. Quanto mais nova e complexa for a realidade que enfrentam, mais confuso se sentem, produzindo condutas ineficazes. Observa-se que 73% das mulheres com fibromialgia apresentam decisões e condutas ambigual e 27% suas condutas e decisões são extratensivo. As mulheres que possuem condutas e decisões ambigual reflete uma maior vulnerabilidade diante das dificuldades, pois se trata de indivíduos mais vacilantes, que necessitam mais tempo para concluir suas tarefas e têm menos coerência interna, o que torna a sua conduta muito mais imprevisível. A maioria das mulheres com fibromialgia apresentam Déficit Relacional de 37%. Conclusões: Os resultados obtidos comprovam a hipótese de que as maiorias das mulheres antes do advento da fibromialgia passaram por situações de perdas dolorosas, que podem ter influenciado no desenvolvimento ou evolução da fibromialgia, como uma forma de expressão de forma concreta da angustia vivenciada por essas mulheres. Apresentam dificuldade de se relacionar consigo mesmo e com os outros que podem ser comprovadas através do método Rorschach, podendo ser ocasionada exatamente por essa perda dolorosa, apresentando também traços depressivos e uma autocrítica negativa. Conseguimos identificar o perfil de personalidade presente nas mulheres portadoras de fibromialgia, são mulheres que apresentam dificuldade de relacionar com os outros, ficam irritadas quando as pessoas não fazem as coisas que elas querem e da maneira que elas acreditam ser a maneira correta, apresentando o comportamento infantil, vivendo sempre o amanhã esquecendo de aproveitar o hoje, esperando que o futuro lhe reserve coisas negativas devido às perdas dolorosas que viveram, não conseguem vê o lado bom das situações que vivencia. Com isso dificultando tanto a sua vida quanto das pessoas que as cercam, buscando sempre tem atitudes adequada e corretas, ou seja, apresenta comportamentos que a sociedade acredita ser o adequado. Os resultados nesta pesquisa possibilitam que possamos pensar na fibromialgia como histeria de conversão, porém está hipótese deve ser investigada mais profundamente.


Voltar